O que é Telemedicina?

Banner Telemedbrasil Agende Reunião 970 x 250 px

Telemedicina é uma área médica que usa tecnologia avançada para fornecer serviços online ​​para médicos, pacientes, laboratórios, clínicas de saúde, hospitais e profissionais de saúde.

Com este recurso, alguns serviços médicos podem ser levados a qualquer lugar do país e do mundo, ampliando o acesso ao atendimento, ultrapassando as barreiras de hospitais, clínicas e consultórios.

Segundo define o Conselho Federal de Medicina na Resolução CFM nº 1.643/2002, essa especialidade representa o exercício da medicina através da utilização de metodologias interativas de comunicação audiovisual e de dados, com o objetivo de assistência, educação e pesquisa em saúde.

Desde a década de 1990, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece a importância dessa área médica, em especial para casos em que a distância é um fator crítico para a oferta de serviços ligados à saúde.

A modalidade é utilizada para transferir receitas e atestados médicos e exames de maneira digital, além de viabilizar o recebimento dessas análises em estabelecimentos do setor da saúde que não contam com especialistas em determinada área médica.

Normalmente, esse processo ocorre por meio de computadores com acesso à internet, porém, também é possível ser realizado por meio de smartphones e tablets.

Em lugares afastados dos grandes centros urbanos onde há pouca infraestrutura, este recurso permite acesso a especialistas e assistência primária de saúde.

O recurso permite, por exemplo, a consulta com um especialista por teleconferência para obter uma informação mais precisa em relação a um exame. Um atendimento que levaria dias,com a telemedicina, é feito em minutos.

Seja para exames de rotina ou em situações de urgência, esse é um apoio decisivo, contribuindo para a prevenção, diagnóstico, monitoramento e tratamento de doenças, lesões e outras situações médicas.

Essa troca de informação é efetuada em plataformas digitais através da Internet para acesso por computador, celular ou tablet, de forma a garantir assim um alojamento em alta velocidade.

Graças ao desenvolvimento do conhecimento científico e ao aprimoramento dos recursos técnicos, a telemedicina tornou-se uma importante ferramenta para a medicina habitual.

Sua importância se deve a ela prestar suporte remoto a profissionais qualificados de forma rápida, simples e eficaz. Ela também pode monitorar remotamente a saúde de indivíduos e intervir preventivamente antes que os problemas sejam descobertos.

O que é telemedicina? Fonte: Freepik

A telemedicina tem a poderosa capacidade de simplificar os procedimentos médicos, assim permitindo que mais pessoas entrem em contato com instituições médicas online de maneira muito rápida.

Como o exame pode ser enviado aos especialistas de qualquer lugar, também é útil para a troca de informações entre médicos e para agilizar o diagnóstico. Desta forma, a interação médico-paciente exige menos idas e vindas ao consultório médico. A telemedicina traz muitos benefícios para médicos e pacientes.

A telemedicina vem na verdade para complementar e não como um substituto da medicina que já estávamos acostumados. Afinal, ela representa um avanço tecnológico no campo da saúde.

Por que telemedicina é importante?

Podemos destacar a oferta de uma assistência médica globalizada e acessível dispensando a necessidade de locomoção. A tecnologia aplicada aos serviços leva a uma otimização da assistência primária e para a melhoria dos processos atuais inclusive reduzindo custos.

Outra vantagem da telemedicina é que, ao combater a escassez de recursos na área clínica e impedir o isolamento dos profissionais, o mecanismo tende a aumentar a qualidade geral das ações e dos avanços no segmento. A modalidade possibilita que os profissionais se ajudem mutuamente na tomada de decisões médicas.

Essa descentralização traz benefícios não só aos pacientes, mas também aos próprios médicos, ajudando-os a alcançar o maior atendimento possível sem perda de qualidade.

Os benefícios da telemedicina para nossa vida são inúmeros, confira alguns:

  • Contato do médico com o paciente para garantir que ele está saudável sempre que necessário;
  • Prestar assistência remota a comunidades carentes que não tem médicos próximos;
  • Acessibilidade para a maioria da população;
  • Maior eficiência do atendimento sistematizando o processo por meio de software online de saúde;
  • Expansão da agenda clínica dos médicos;
  • Envio de exames para laudo 24 horas por dia com agilidade de resposta e atendimento para o mundo todo;
  • Redução do tempo de serviço e despesas operacionais.

Para ficar mais claro vamos aos mais importantes:

  1. Otimização de tempo

Os dados do paciente e os resultados dos testes podem ser protegidos online, para que apenas profissionais e pacientes possam visualizá-los. Dessa forma, médicos e seus colaboradores podem acessar rapidamente o conteúdo de qualquer local.

Se esses resultados fossem enviados por correio, o tempo de espera seria de dias ou até semanas.

Além disso, os relatórios ficam disponíveis na nuvem 24 horas por dia, que é um compartilhamento online que permite acessar, salvar e editar arquivos remotamente.

A organização de localização de arquivos e cópia de relatórios foi muito melhorada. Com a versão online, você também pode pesquisar e consultar informações com mais rapidez, otimizando o tempo dos médicos.

2.Recursos de serviço aprimorados e mais rápidos

A vantagem da telemedicina no Brasil também se reflete na melhoria da agilidade do processo. Desta forma, possibilita o envio de relatórios e fornecimento de dados para diferentes equipes e profissionais na Internet.

Ao contrário da versão em papel, os arquivos digitais podem ser acessados ​​por vários usuários simultaneamente.

Portanto, o conforto dos profissionais de saúde é aumentado e a possibilidade de erros médicos é reduzida.

A telemedicina supera as barreiras geográficas, disponibilizando serviços antes restritos às grandes cidades do Brasil.

Dessa maneira, pacientes de áreas afastadas têm acesso a pareceres e laudos de qualidade, sem que precisem se deslocar até as capitais.

Infelizmente, o Brasil é conhecido por desigualdades, que também atingem a área médica.

A maioria dos especialistas está concentrada em grandes centros urbanos e suas proximidades.

Mais precisamente,39 dos dos 5.570 municípios concentram 60% de todos os médicos do país, segundo a pesquisa Demografia Médica de 2018.

E isso leva à carência de mão de obra em regiões remotas.

Porém, a telemedicina no Brasil vai transformar essa realidade, conectando médicos e profissionais de saúde locais a especialistas, com o auxílio da Internet.

Essa comodidade impacta especialmente os idosos e pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida, que apresentam maior dificuldade para se locomover.

3. Mais Segurança

Uma das melhores vantagens da telemedicina e dos relatórios remotos é a segurança do banco de dados e gerenciamento de informações. Os dados dos pacientes, exames gerados e outros arquivos estão protegidos, pois, o seu acesso é restrito a pessoas autorizadas, com senhas de segurança.

Isso é feito por meio de softwares ou sites da Web que possuem login e senha em um ambiente seguro com certificado de segurança e criptografia de conteúdo.

O banco de dados permite o armazenamento virtual de exames e laudos e pode ser acessado a qualquer momento. Documentos físicos são fáceis de perder ou esquecer, mas, ao armazenar relatórios na nuvem, você pode reduzir muito o risco de documentos perdidos ou danificados.

Plataformas de telemedicina são compatíveis com sistemas de arquivamento de dados, como o prontuário eletrônico do paciente (PEP).

Por isso, as informações são facilmente integradas, permitindo o acesso em diferentes unidades de saúde e dispensando a guarda do histórico do paciente em papel.

A fim de preservar o sigilo quanto aos registros de saúde, a plataforma de telemedicina é protegida por diversos protocolos de segurança, como criptografia e senhas.

4. Menos gastos

Para executar e emitir relatórios de inspeção sem um sistema online, as clínicas precisam investir em infraestrutura, logística e pessoal. Porém, se a central de documentos estiver localizada fora da clínica, os custos podem ser bastante reduzidos.

5. Portabilidade de exames e informações

Os profissionais podem usar tablets, computadores e smartphones para analisar exames sem usar estações de trabalho para análise.

E caso tenha alguma dúvida ou deseje ouvir uma segunda opinião sobre o resultado de um exame, o paciente poderá de uma forma mais econômica e prática fazer essa consulta.

6. Menos funcionários e mais precisão

Não há necessidade de manter uma equipe clínica em tempo integral. A clínica só paga pelo relatório publicado com base nas necessidades e exames do paciente naquele dia.

Ao publicar laudos na própria clínica, é necessária uma grande estrutura para armazenar todos os laudos físicos e não confundir os resultados de cada paciente, o que inclui o alto custo de impressão.

7. Armazenamento e eficiência

Usando um sistema online, todos os arquivos do paciente podem ser armazenados em uma plataforma e os arquivos podem ser acessados ​​de diferentes computadores. Isso economiza espaço de escritório, custos de impressão e armazenamento.

No médio e longo prazo, o investimento em tecnologia é compensado pela eficiência e economia de recursos. Uma excelente empresa de profissionais de prontuário e laudo eletrônico pode garantir o bom funcionamento e segurança do sistema, bem como todas as vantagens da telemedicina.

Agora que você já sabe que ela pode ser bastante útil em sua vida, vamos lhe apresentar outras perspectivas dessa área.

Desafios da telemedicina

Os desafios da telemedicina no Brasil e no mundo são basicamente a aceitação por parte dos pacientes e profissionais e questões de segurança digital.

Relutância dos médicos, estudantes e pacientes

Um dos grandes desafios para a consolidação da telemedicina no Brasil é a aceitação por parte dos médicos, estudantes e pacientes.

A cultura brasileira costuma ser mais relutante em relação à novas tecnologias do que a americana ou a japonesa, por exemplo.

Outra questão que ainda dificulta a aceitação dos médicos é a remuneração. Entretanto, esforços para equiparar os ganhos da teleconsulta com a consulta presencial já estão sendo feitos.

Segurança digital

Por último, a questão da segurança digital vem sendo muito discutida.

O medo de ataques cibernéticos é um entrave importante para a aceitação da telemedicina.

Nesse sentido, empresas responsáveis pelo armazenamento de dados estão desenvolvendo cada dia mais mecanismos para garantir a segurança e privacidade dessas informações.

Como a telemedicina funciona na prática?

Consulta e assistência médica são algumas das principais atividades da telemedicina.

As consultas podem ser utilizadas por pacientes para buscar mais rapidamente a assistência de um especialista, como uma segunda opinião em um diagnóstico ou mesmo orientações sobre a realização de um procedimento.

Já a assistência médica consiste no monitoramento do paciente. Nessa situação, o médico pode se comunicar com outros técnicos a distância para obter mais de um parecer médico sobre uma cirurgia, um medicamento, exames etc.

E se fosse possível agregar os exames às consultas, com rapidez, economia e qualidade?

Há alguns anos, este sonho dependeria de muito investimento, mas agora já é uma realidade. Através destas ferramentas, é possível sim enviar exames e receber os laudos com agilidade, a um custo benefício bem vantajoso.

A telemedicina possui duas vertentes principais que são: telelaudos e assistência remota.

Telemedicina na prática. Fonte: Freepik

Saiba mais sobre o que essas duas modalidades da telemedicina consistem nos tópicos a seguir.

 Telelaudos

É a principal modalidade da telemedicina no país. A liberação de laudos remotos ou de resultados de exames de laboratórios virtuais é realizada em programas online de saúde, o que facilita a aceitação de exames, como radiologia, eletrocardiograma, eletroencefalograma, etc.

Teleassistência

Esse tipo de assistência médica remota transfere uma gama de serviços da rotina clínica para um ambiente digital. Serviços esses como triagem, aconselhamento de saúde, monitoramento de pacientes e consulta médica para uma segunda opinião sobre o diagnóstico. Todos eles são realizados por meio de comunicação da plataforma online, videoconferência, som ou bate-papo via computador ou telefone celular.

Telemedicina no Brasil

A telemedicina nada mais é do que uma conferência de tecnologia da informação e comunicação e seu principal objetivo é fornecer assistência médica remota a pacientes e comunidades. É uma ferramenta utilizada na telesaúde, que pode atender pacientes remotos por meio de reuniões remotas e análise de exames enviados pela internet.

Ela pode se tornar uma boa prática, fornecendo ajuda qualificada e eficaz para quem precisa. Como resultado leva o atendimento médico as pessoas que geralmente não conseguem ir pessoalmente a um centro médico ou possuem pouco tempo disponível na rotina.

Na pandemia que vivemos, a Comissão Médica Federal do conselho federal de medicina (CFM) autorizou o uso de três ferramentas de call center no Brasil na área da saúde. Esta carta foi enviada ao Ministério da Saúde para ampliar as resoluções anteriores sobre as práticas de telemedicina.

A carta apontou três tipos diferentes de call centers que podem ser implementados hoje. A primeira diferença é a orientação remota, ou seja, os médicos podem informar aos pacientes sobre os sintomas e avaliar se eles podem ficar em casa, ir ao pronto socorro ou ao consultório.

A segunda diferença é o monitoramento online. Ele consiste na continuidade do tratamento em casa de pacientes que já foram atendidos no consultório.

Por fim, o terceiro diferencial é a consulta por telefone, que é uma modalidade que ainda causa discussão entre os médicos.

Encontramos programas embasados em inteligência artificial em alguns hospitais de referência (como o Hospital Albert Einstein, em São Paulo), nos quais os aparelhos de imagem podem apontar possíveis doenças e enviar notificações automaticamente aos médicos.

Esses dispositivos podem enviar os sinais vitais do paciente diretamente para o prontuário médico e assim por diante.

Segundo o estudo realizado pela Faculdade de Medicina da USP, com apoio do CFM e do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp),o número de médicos no país aumentou 665,8% nas últimas cinco décadas, chegando a 452.801 (2,18 a cada mil habitantes).

No mesmo período, a população cresceu 119,7%.

Ou seja, o cenário estaria equilibrado se a mão de obra médica não estivesse tão concentrada em regiões centrais, como o Distrito Federal, que conta com 4,35 médicos por mil habitantes. Por outro lado, o Maranhão registra apenas 0,87 médico por mil habitantes.

Mais da metade dos médicos disponíveis no Brasil estão em apenas 39 cidades, e todas elas têm mais de 500 mil habitantes.

O estudo confirma relatos de moradores de cidades pequenas no interior do país, que sofrem com a falta de especialistas. Essa é uma realidade que pode ser enfrentada com êxito a partir de uma estratégia de telemedicina.

Futuramente, com a integração de plataformas,  serviços presenciais de agentes de saúde guiados por telessaúde, possibilitarão tratar e recuperar os pacientes com mais rapidez e competência, visto que a qualquer momento um especialista estará disponível para uma consultoria e indicação do melhor caminho de tratamento para aquela situação.

Seja no Brasil ou no mundo,a telemedicina é uma área que tem rompido barreiras, eliminando distâncias geográficas e conectando especialistas a outros profissionais de saúde, administradores de unidades de saúde e pacientes.

Esse avanço é possível graças à aplicação de tecnologias modernas, como a Internet, sistemas de áudio, imagem e vídeo. Todo esse aparato contribui para a resolução de demandas comuns na área da saúde, como a carência de especialistas, o esclarecimento de dúvidas e a segunda opinião médica.

A telemedicina pode ser dividida em setores: teleassistência, teleconsulta, teleducação e emissão de laudos à distância.

Teleassistência

O foco da Telemedicina é o diálogo com o cliente e a sua saúde, e claro, também inclui o contato direto com os médicos ou outros profissionais da saúde para esclarecer e ajudar a resolver problemas com mais rapidez.

Por esse motivo, médicos ou quaisquer outros profissionais de saúde que se comunicam remotamente com outros profissionais podem monitorar pacientes em suas próprias residências ou centros de saúde locais.

Para melhorar a eficiência do sistema e garantir exames médicos precisos, vários dispositivos são normalmente usados ​​para avaliar parâmetros clínicos, e esses dados são geralmente enviados para especialistas pela internet.

Teleconsulta

Quando o clínico busca ajuda de especialistas, ele pode realizar consultas online com diferentes especialistas. Portanto, o acesso a uma segunda opinião sobre o diagnóstico, remédios mais adequados e até dicas em tempo real sobre a realização do procedimento está a um clique.

Outro método é fazer consultas online diretamente entre médicos e pacientes. No Brasil, essa prática da consulta à distância entre profissionais da saúde e pacientes ainda é pouco utilizada.

Teleducação

O ensino à distância tem sido utilizado em muitos campos. No entanto, na medicina o foco está na formação de profissionais de saúde fora dos principais centros para buscar atualizações e prepará-los para se adaptarem às diferentes situações da prática médica.

Para isso, a educação a distância com foco em telemedicina utiliza videoconferências, cursos e palestras. É uma forma de transferir conhecimento para aprimorar as pesquisas e prestar assistência de qualidade aos pacientes.

Laudos a distância

A emissão de laudos à distância é uma das possibilidades da telemedicina que mais avança no Brasil. Com esse desenvolvimento, os diagnósticos podem ser realizados onde você estiver, independentemente do lugar que você mora.

Eles serão enviados por especialistas conectados à Internet. Consequentemente, o paciente pode encontrar facilmente o especialista que precisa, ele sendo da localidade do paciente ou não.

No Brasil, recentemente houve a tentativa de modernizar o conceito e ampliar a cartela de serviços que a telemedicina oferece. Publicada em fevereiro de 2019, a Resolução 2.227/18 aprovou a realização de teleconsultas, consultas entre médico e paciente a distância.

Entretanto, a norma causou polêmica e respostas de várias entidades médicas, que desejavam contribuir com seu conteúdo. Acabou, portanto, revogada após alguns dias para revisão.

Enquanto isso, segue em vigor a já citada Resolução CFM nº 1.643/2002, que exige a estrutura e qualificação dos profissionais e empresas que exercem a telemedicina.

Outras normas importantes são publicadas pelo Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo próprio Conselho Federal de Medicina. Por parte do Ministério da Saúde, uma das legislações de interesse é a Portaria MS nº 2.546/11, que aborda o Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes (Telessaúde Brasil Redes).

A iniciativa contempla regras para empresas que desejam ofertar serviços de telediagnóstico para unidades de saúde do SUS. Diretrizes mais detalhadas para as empresas que participam do Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes estão na Nota Técnica 50, publicada em 2015.

Já a Anvisa e o CFM são responsáveis por legislações mais específicas, que tratam da regulação de aparelhos e serviços de telemedicina para segmentos específicos.

Qual a diferença entre e-saúde, telessaúde e telemedicina?

Na área médica é muito comum as pessoas confundirem o que é cada subárea, afinal, as três estão ligadas à saúde e também à tecnologia. Então, muitas vezes estamos pensando ou utilizando uma achando que é outra. Veja agora mais detalhadamente o que significa cada uma delas.

E-Saúde

Trata-se de uma recomendação da Organização Mundial da Saúde que visa padronizar as informações do paciente, como medicamentos, consultas e exames, por meio de tecnologia de integração de softwares e equipamentos.

De acordo com o Ministério da Saúde, a E-Saúde tem como objetivo melhorar a qualidade e ampliar o acesso à saúde, de forma a qualificar equipes, melhorar a saúde e agilizar o fluxo de informações para apoiar a tomada de decisão médica. Isso inclui dados clínicos, monitoramento da saúde, supervisão da saúde e promoção da gestão.

Telessaúde

A telessaúde pode-se dizer que é conhecida como a prestação de serviços médicos mesmo a distância através das tecnologias de informação e comunicação. Ela abrange uma ampla gama de campos, envolvendo educação a distância, redes de pesquisa e epidemiologia remota, gestão de saúde e serviços em redes de gestão.

Telemedicina

A telemedicina faz parte de todos esses porque utiliza também a Internet, softwares e programas específicos para fornecer relatórios à distância.

Como montar meu próprio sistema de telemedicina?

O fato é que a tecnologia da telemedicina vem ganhando cada vez mais espaço no meio médico. Ela proporciona maior qualidade e velocidade de inovação nos serviços prestados à sociedade.

Embora já tenha se tornado uma realidade em muitas clínicas e laboratórios, essa situação ainda está se espalhando pelo país.

Telemedicina. Fonte: Freepik

Afinal, o desenvolvimento de um sistema de telemedicina requer atenção especial para atingir objetivos.

Descubra agora como montar seu próprio sistema de medicina em alguns passos.

  • Inclua o sistema de telemedicina com software de gestão

A integração do sistema de gestão é um dos aspectos mais interessantes de como construir um sistema de telemedicina. Afinal, a medida tornará mais prático os processos de profissionais e pacientes. Nesse sentido, ao escolher um sistema de telemedicina, deve observar se a série de notificação está conectada ao equipamento de exame médico.

 Essa função simples permite que as informações coletadas no teste sejam enviadas diretamente ao médico para análise, sem a necessidade de fazer o upload, download ou envio manual. Desta forma, os erros humanos que podem ocorrer durante o registro e envio de informações podem ser minimizados.

  • Sempre mantenha uma equipe médica qualificada e disponível

Saber montar um sistema de telemedicina vai além de pesquisar tecnologia. Também é necessário investir na capacitação de profissionais para que possam lidar com as plataformas. Desta forma, a equipe deve ser composta por especialistas em suas áreas de atuação. Afinal, são essas pessoas que serão responsáveis ​​por fornecer relatórios e diagnósticos precisos aos clientes.

  • Ter segurança é fundamental e indispensável

Os avanços na tecnologia de uso diário trazem fardos e bônus para todos e não é diferente na telemedicina. Um dos obstáculos que devem ser vencidos é criar ou adquirir um sistema de telemedicina nos quais as informações e arquivos dos clientes precisam estar seguros. Para isso, o sistema deve ter funções de autenticação e criptografia de conteúdo para permitir o acesso apenas de pessoas autorizadas, tornando assim, mais difícil para o malware inserir ou vazar informações confidenciais.

  • Faça investimentos nas melhores tecnologias de videoconferência

Saber gerenciar esse sistema pode mudar a relação entre companhias, especialistas e potenciais consumidores. Visto que esse tipo de relação digital vai mudar os processos internos e a forma como os serviços são prestados aos clientes.

O sistema de telemedicina implementado deve fornecer suporte abrangente para clínicas e laboratórios. Portanto, é necessário procurar sistemas que incluam: inteligência artificial, algoritmos para identificar situações de emergência e segurança de dados.

Podemos esperar que a telemedicina no Brasil deve crescer muito nos próximos anos. Isso é facilmente explicado ao se analisar as vantagens que ela oferece, desde redução de custos à melhoria na qualidade do serviço.

Porém, algumas questões surgem e precisam ser pensadas e trabalhadas. Dentre elas estão a dificuldade de aceitação por parte dos profissionais e pacientes e a segurança de dados dos pacientes. Vale destacar mais uma vez os benefícios trazidos, principalmente tendo as últimas inovações tecnológicas a favor da prática da telemedicina no Brasil.

Com o avanço e o reconhecimento da telemedicina, veremos um grande esforço das empresas de tecnologia para oferecer o melhor produto e serviço.

Nesse contexto, aplicativos e dispositivos novos surgem a cada dia para facilitar a experiência dos usuários.

Aparelhos que funcionarão como smartwatches para monitorar sinais vitais já estão sendo desenvolvidos.

Sempre que o usuário se sentir mal, ele aciona o dispositivo que, então, vai avaliar o estado do paciente e chamar ajuda se preciso for.

Aplicativos para melhorar a experiência do usuário também estão sendo criados. Com isso, o paciente pode monitorar sua saúde, acompanhar seus exames e marcar consultas na mesma plataforma.

Perguntas mais frequentes

Qual o objetivo da Telemedicina?

O objetivo é prestar serviços mais rápidos e para mais pessoas ao mesmo tempo. Ela permite auxiliar os pacientes por meio de consulta virtual, diagnóstico online e monitoramento à distância.

Quando surgiu a Telemedicina?

Na década de 1990.

Como funciona o atendimento feito por Telemedicina?

A consulta é realizada em qualquer lugar do mundo via internet, seja ela por mensagens ou preferencialmente por vídeo. Assim, os pacientes têm mais chances de ter mais vagas à disposição e consegue resolver bem mais rápido a sua demanda. O médico por sua vez, tem a vantagem de atender qualquer pessoa no Brasil e até mesmo no mundo.

A telemedicina vai ficar por muito tempo?

Sim. Não é apenas por causa da crise que a telemedicina está sendo usada, apesar de sabermos que no cenário de pandemia ela é muito mais requerida. Porém, é impossível negar que ela é uma nova forma de ampliar o atendimento médico, pois a telemedicina proporciona mais facilidade e agilidade para os pacientes serem atendidos, afinal hoje todos os serviços e negócios estão migrando para a internet.

A telemedicina é só para ricos?

Com certeza não. É para qualquer pessoa, pois na verdade a telemedicina pode até ajudar os clientes a gastarem menos. Isso porque os custos dos médicos vão ser menores usando apenas a internet, sem ter que se preocupar com lugares físicos.

Além do mais, com a tecnologia atual se o paciente tiver um celular e uma internet razoável, ele pode ser atendido plenamente em uma teleconsulta.

A telemedicina ajuda mais os pacientes ou médicos?

Ambos têm ótimas vantagens. Nenhum ganha mais que outro, enquanto por um lado o médico encontra mais fácil os seus clientes, por outro lado, os clientes conseguem achar com mais facilidade o médico exato que elas necessitam.

Somos uma das maiores agências do Brasil especializada em marketing digital para médicos e criamos uma assistente virtual que é otimizada para atrair clientes online e os ajuda a fazerem sozinhos agendamentos e pagamentos de consultas e ainda envia lembretes por email e sms para que você possa focar exclusivamente na parte mais importante de seu trabalho sem interrupções para cuidar das marcações. Se quiser conversar mais sobre marketing digital agende uma conversa gratuita aqui com um de nossos especialistas.

Banner Agende Reunião 320 x 100 px

Receba gratuitamente nossos artigos

Após se cadastrar você poderá receber informações, notificações e eventualmente e-mails com nossos conteúdos e ofertas relevantes.

* Preenchimento Obrigatório

Dúvidas na escolha do seu plano?

Estamos aqui para te ajudar. Clique no botão abaixo.

telemed logo effect
Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Oi, posso ajudar?